Por que eu preciso confessar meus pecados?

Deus é tão bom e justo, quando estamos com medo ou temos dúvidas em nosso coração, Ele nos deu a sua Palavra para nos ensinar e iluminar. Para quando precisamos de força, Ele nos deu a Eucaristia. Para quando estamos enfermos e com medo da morte, Ele nos deu a Unção dos Enfermos. Para quando queremos um casamento abençoado, Ele nos deu a benção matrimonial no casamento. Para quando estamos afastados d’Ele, temos a Confissão… Ele pensou em todas as aflições e preparou um Sacramento para cada momento destes. Hoje nosso assunto será a Confissão.

O Sacramento da Confissão também é conhecido como Reconciliação, Penitência ou Sacramento do Perdão, e é um dos Sacramentos de Cura. Assim sendo, ele age nas raízes dos problemas que nos afastam de Deus e afligem nossa alma.

Segundo o Frei Elias Vella em seu livro O Leão que Ruge ao Longo do Caminho, a Confissão atua em quatro dimensões no nosso ser: Perdão, Cura, Libertação e Fortalecimento. Falando em termos modernos, a Confissão nos desintoxica e aumenta nossa imunidade contra o pecado, arrancando de nós toda a sujeira e nos trazendo novamente aos braços do Pai. Compartilho abaixo um pequeno trecho da obra do Frei Elias Vella onde ele nos faz meditar a seguinte pergunta: “Por que eu preciso confessar meus pecados?”

A parábola do filho pródigo (Lc 15: 11-32).

Vamos meditar um pouco sobre a parábola do filho pródigo. Um jovem abandona sua casa. Ele pecou, e agora está distante de seu pai. No entanto, o pai fica esperando a volta do seu filho, embora o filho não esteja dando importância a isto. Quando eu peco, eu me afasto para longe do Pai, não é o Pai que se afasta de mim. Sou eu mesmo que digo “Não” para o Pai, mas o Pai permanece o tempo todo me amando. Eu fico desligado d’Ele, mas Ele não fica desligado de mim. E assim, o Pai continua a me amar do mesmo jeito como antes. Meu pecado não faz diminuir o amor do Pai por mim. Eu passo a ser como um inimigo d’Ele, mas Ele não; Ele é e permanece sendo meu amigo.

Vou lhe dar um exemplo. Imagine que haja Sol lá fora. Eu fecho todas as janelas e desta maneira impeço que a luz do Sol penetre na casa. Nós ficamos no escuro e sentimos frio. Mas, não é porque o Sol foi embora; o Sol permanece lá fora com todo o seu calor e sua luz. Sou eu que estou bloqueando a luz e o calor do Sol de entrar na minha casa. É isto o que acontece quando eu cometo um pecado. Deus permanece sendo meu amigo; Ele continua a me amar como antes. Ele continua a me abençoar como antes. Nenhum pecado pode fazer diminuir o amor d’Ele por mim. Mas, no momento em que entro no pecado, eu bloqueio o amor de Deus. Ele continua a me dar este amor, mas eu já não consigo mais recebê-lo.

O filho pródigo está lá distante, numa terra estrangeira e está passando fome. Ele não está passando fome porque o Pai quer castigá-lo. A fome pela qual ele está passando é o preço que ele está pagando por estar distante do Pai. Agora, o filho decide ir ao Pai. Uma vez que ele se decide por ir ao Pai, a amizade já está restaurada, mas ele ainda está distante. Os corações agora estão juntos, mas ambos se encontram fisicamente distantes um do outro. Quando estou em pecado, no momento em que eu decido reatar a minha amizade com o Senhor, meu pecado está sendo perdoado, porque a amizade já está restaurada. Mas eu devo ir e me encontrar com Ele, e isso é a Confissão.

Portanto, o Sacramento da Reconciliação é o ápice deste processo de perdão. Daí você chega ao Pai. Quando você encontra o Pai, você ainda está com a roupa suja. Você ainda está cheio de imundície, cheio de sujeira. Agora veja a reação do Pai. Ele lhe abraça, mesmo com a sua roupa suja. Ele não diz a seu filho: “Vá primeiro tomar um banho, coloca uma roupa limpa, depois vem que lhe dou um abraço”. Não, Ele lhe abraça em seu pecado. Ele é o único que lhe aceita como você é, como você está.

Ninguém mais lhe aceita como você é, nem sua mãe, nem seu pai, porque eles lhe aceitam da forma como eles querem que você seja. Mas eles não lhe aceitam como você é. Somente Jesus lhe aceita como você é. Ele é o único que consegue lhe abraçar em seu pecado. É claro, porque Ele lhe ama, Ele lhe diz: “Agora, vai tomar um banho”. Porque Ele lhe ama. Ele lhe diz: “E agora, vai colocar uma roupa limpa”. Mas esta não é uma condição que Ele lhe impõe. Ele não lhe diz: “Eu lhe amo se você se converter”. Ele lhe diz: “Eu lhe amo, se você se converter ou não. Mas, porque eu lhe amo, eu quero que você se converta”.

Livro: O Leão que Ruge ao Longo do CaminhoFrei Elias Vella

Não é maravilhoso imaginar este Deus que nos espera à porta para nos acolher? E nós, vamos continuar comendo lavagem dos porcos ou vamos buscar uma mudança em nossas vidas… Só depende de nós, precisamos fazer a caminhada de retorno. Deus te abençoe, fique no fogo do Espírito Santo!

Acompanhe o Grupo de Oração, todas as terças-feiras às 20h através do programa Louvor & Oração na Rádio Web Mãe do Salvador.

Por favor, siga de compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *